Faltou um post sobre os 30 anos.

É que não foi uma mudança crítica nem traumática: “pá, dia 3 de maio, agora tenho 30 anos [mundo desabando à minha volta].”

Foi a concretização de vários momentos na vida de um fulano em constante evolução e aprendizado. Um snapshot de um instante. Um momento pra parar, olhar pra dentro de si e pensar: “Taí, você se tornou um grande cara, continue assim! [tapinha nas próprias costas e um sorriso largo e satisfeito].”

Eu gosto de mim, do Felipe de hoje, desse cara que me tornei. Os anos redondos são importantes pra gente parar e dar essa geral interna, ver se tá tudo legal e tocar o resto da vida com a certeza de que se está no rumo certo, ou pelo menos engatilhado.

E pra falar, vim, vi, venci. Agora tenho 30, e daí? É igual ter 29 com um ano a mais? É! Mas mais legal, não sei por quê. É mais redondo! =)